Tenor tricordiano grava CD com um dos melhores grupos da música erudita do mundo, em Festival na Polônia.

O tenor tricordiano Matheus Pompeu (30 anos), vai gravar em CD, uma versão italiana inédita da ópera polonesa “Halka”, de S. Moniuszko, com Europa Galante sob o comando de Fabio Biondi, considerados pela crítica especializada como um dos melhores grupos de música erudita em todo o mundo. Matheus substitui o famoso tenor francês Roberto Alagna na gravação do disco e toma parte no concerto do dia 24 de agosto, na Sala Witold Lutoslawski Concert Studio of Polish Radio.

O projeto faz parte do 14º Music Festival Warsaw, festival de verão que movimenta todos os anos a capital polonesa em torno do que há de melhor no mundo da música clássica. Uma grande festa de cultura e beleza que neste ano se reveste de um caráter especial por trazer a inédita versão italiana da obra fundadora da ópera nacional polonesa: Halka, um drama sobre poder, opressão, paixão e morte na Polônia do século XVIII. Matheus Pompeu interpreta o primeiro tenor da obra, o jovem montanhês Jontek, pobre e apaixonado por Halka desde a juventude, exprimindo-se através de temas folclóricos e melodias de grande força sentimental.

Natural de Três Corações, filho de Christine Naback e Antonio Henrique Pompeu, Matheus, que sempre contou com o apoio da avó Geni Naback, iniciou seus estudos musicais e vocais em Belo Horizonte e, em seguida, foi para São Paulo. Desde 2017 mora na Espanha, em Valencia, onde desenvolve relevantes projetos junto a destacados nomes da cena lírica internacional como Placido Domingo e Fabio Biondi.

Certamente um dos jovens talentos do canto lírico brasileiro em franca ascensão internacional, Matheus já tem outros projetos em vista como a Petite Messe Solennelle, de Rossini, na prestigiosa abertura do Festival de Bremen, na Alemanha, também com Fabio Biondi e Europa Galante.
No Brasil, entre 2013 e 2016, se apresentou nos principais palcos brasileiros antes de sua ida para a Europa. Esteve no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Theatro Municipal de São Paulo, Sala São Paulo e Palácio das Artes, em Belo Horizonte, em produções de óperas como “Il Guarany”, “La Traviata”, “La tragedie de Carmen” e “Lucia di Lammermoor”.

Europa Galante nasceu em 1990 a partir do desejo de seu diretor artístico de fundar um grupo instrumental italiano para explorar o grande repertório barroco e clássico com instrumentos de época. O grupo foi premiado em várias ocasiões e obteve sucesso absoluto de crítica, sendo presença constante nas principais salas de concertos do mundo: do Teatro alla Scala, de Milão, ao Suntory Hall de Tokyo, do Royal Albert Hall de Londres ao Lincon Center de Nova York. O grupo possui uma vastíssima discografia reconhecida como referência pelos mais elevados especialistas.

Para Matheus Pompeu participar desse projeto “é uma oportunidade preciosa para mergulhar na riqueza da alma polonesa presente na música de Moniuszko e poder registrar essas impressões com artistas do mais alto nível.
“De verdade, me sinto privilegiado por representar o meu Brasil nessa linda aventura e dar a minha contribuição neste registro que ficará para a posteridade”, diz. Matheus que inicia os trabalhos em Varsóvia no próximo dia 17 de agosto.

Matheus Pompeu Europa Galante

 

SECOM/Texto: Sérgio Vasconcellos Vallim - Fotos; arquivo pessoal
Três Corações, 11 de julho de 2018.

Compartilhe esta notícia no Facebook

Submit to Facebook
Our website is protected by DMC Firewall!